terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

Esquecer ou escrever?





Vou tentar escrever ou tentar esquecer. Nenhum dos dois fazem sentido, não combinam. Mas tentar
escrever é recordar, criar, tornar o que você sempre quis em "realidade". Realidade escrita em poucas verdades, ou seriam mentiras distorcidas?. Tentar esquecer apenas a vontade de não poder escrever.

Escrevemos há mais de duas horas, será lido em dois minutos, é frustante e ao mesmo tempo gratificante. Nada vem sem esforço, sempre é rasgado, apagado, deletado, odiado, amado até ficar pronto, você o lê e odeia cada detalhe. Ser escritor não é tão fácil como parece.

A criatividade nunca vem quando você quer, pra isso, precisa trabalhar sua mente. Nem sempre tudo é inspiração. Quase sempre desesperamos ao não sair do branco, a "depressão do branco", assim que a chamo. É difícil, é deprimente, agonizante, e ao mesmo tempo é o desafio que temos que superar, nada como o do Anderson Silva, mas, olhar aquela tela e não conseguir sentir nada, nem mesmo um parágrafo é se sentir o pior escritor do mundo.

Sempre parece que você já escreveu sobre tudo, só que sempre tem algo que pode escrever, ou reescrever. Somos cheios de opções e não as enxergamos. A oportunidade está em tudo. Há quem diga que o amor vivo é um texto morto. Isso pra mim, hoje em dia é uma besteira, há bem mais textos que amores. Há amores bem mais que textos. Tudo é relativo.

Podemos perceber que muitas vezes escrever não é "uma arte", não menosprezo trabalho nenhum, pois, os erros dos outros me fazem aprender, tanto os meus próprios. Por isso, levo comigo sempre um aprendizado a cada história, cada conto, a cada lembrança e até nas anotações. A realidade realmente não faz parte da minha vida, levaremos essas "mentiras escritas" para sempre, e vamos ser sinceros, mentiras iguais as essas, não á melhor.

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário