segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Os passos



As mensagens desesperadoras perguntando onde estou, que horas vou chegar, se já estou chegando. Pessoas sem um pouco de paciência, por isso que dizem: "paciência é uma virtude", e eu a tenho. Não me preocupo com quase nada, deixo tudo acontecer naturalmente, sigo o fluxo do "Busão": Lento, mas sem quase nunca parar.

Ando nos meus passos lentos, algumas vezes largos.
Observo a paisagem, as pessoas, os bares abertos. Talvez eu devesse parar para conversar com alguém, ou devo seguir o meu caminho, não sei. A vida é muito curta para ter apenas um destino. Só que tenho um compromisso. Nada urgente, é que, não gosto de pessoas apressadas. Sou quase mineiro, ando devagar. Acho que já disse isso. Tenho a memória fraca, uma imaginação fértil e um sério problema em ser direto, dou voltas e voltas até chegar no que eu quero, coisa de gente da roça.

 Minha imaginação as vezes me faz recriar cenas que já vivi de uma forma que só eu consigo. Ainda ando pela minha casa, recriando cada passo, cada cena, cada momento. Logo, chega outra mensagem perguntando aonde estou. "Já estou quase chegando", é o que eu escrevi. Só que na verdade, eu ainda nem sai de casa.











Reações:

2 comentários: